Lisa Ster Coy

Poesia e algo mais...

Sorrisos


Nos muros das casas
Janelas de ônibus
Adesivos em carros
No alto de postes 
Nos galhos das árvores 
Espalhado ao chão 
Nos homens, em mãos, 
Mulheres, crianças, 
Pai, mãe e tia 
A trinta reais o dia.

 

No horário nobre 
Da televisão 
Na humilde fala 
Do locutor 
No segundo caderno 
Das mãos cidadãs 
Na manchete, 
Anúncios, classificados 
E na boca do povo 
Que nem ouve nem responde.

 

Pra cada lado, acima e abaixo 
Paisagem vislumbrada 
E estrada percorrida 
A cada passo 
Em meus limites não previstos 
Um sorriso eu avisto.

 

Sorrisos brancos, 
Amarelos, 
Arredondados, 
Quadrados, 
De dentes inteiros e quebrados.

 

Sorrisos verdadeiros 
De sorrisos falsos 
Sorrisos que enganam 
Quaisquer pés descalços 
E sem dúvida alguma 
Esses são maioria 
Num universo de “eu quero”, 
“eu prometo”, “eu faço” ou “eu faria”.

 

De saneamento 
A sacos de cimento. 
Mil promessas prometem 
Prometendo aumento 
E o bolso do povo grita 
E a ferida do povo grita 
E o câncer do povo grita 
E o povo morto grita: 
Quem se importa com os sorrisos?

Lisa Stér Cöy.

 

<Poesia anterior               Voltar para índice               Próxima poesia> 

Faça parte de nossa rede. Para se cadastrar clique em Register, você poderá ter seu perfil pessoal para postar comentários, receber atualizações e novidades do site.