Lisa Ster Coy

Poesia e algo mais...

Ironia conjunta

Que mal seria embaralhada

Tampouco sôfrega

Do remorso esmiuçado

E das memórias lúbricas.

 

Então, ao pedido de resposta

Abaixa a cabeça

Tua mão funde em minhas costas

Abre os olhos num ato veemente e sedutor

Minhas pupilas se dilatam

Abre um sorriso leve...

Frio...

Tímido...

Que ironia!

 

Como opostos que não vivem separados.

Como Lua e Sol,

Dia e noite,

Treva e luz.

 

Como vestida e nua,

Carinho e açoite,

Tridente e cruz.

 

Como não vivem sós

Coração e sangue

Sonhos nós.

 

Por Lisa Stér Cöy. 

 

<Poesia anterior               Voltar para índice               Próxima poesia>

Faça parte de nossa rede. Para se cadastrar clique em Register, você poderá ter seu perfil pessoal para postar comentários, receber atualizações e novidades do site.